terça-feira, 18 de abril de 2017

Assassino do Facebook encontrado morto num carro

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA


Steven Stephens, o homicida norte-americano que matou uma pessoa ao vivo no Facebook, foi encontrado sem vida dentro de um automóvel. Ter-se-á matado durante uma perseguição policial.
Facebook
Steve Stephens, o homem suspeito de ter morto um idoso em direito no Facebook, foi encontrado sem vida dentro de um veículo, confirmou a polícia do estado da Pensilvânia. O corpo foi encontrado num “aparente cenário de suicídio” e baleado na manhã de esta terça-feira em Erie County depois de uma perseguição policial levada a cabo pelo FBI e pela Agência de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos dos Estados Unidos.
Steve Stephens, chamado de “assassino do Facebook” após ter morto um homem num vídeo em direto onde afirma ter morto outras treze pessoas, tem 37 anos e tirou a vida a Robert Godwin, de 74 anos, numa rua de Ohio. Não tinha antecedentes criminais.
Há dois dias que a polícia norte-americana procurava por Stevie Steve, funcionário de uma instituição de saúde mental para crianças, adolescentes e respetivas famílias. A 16 de abril, a Divisão Policial de Cleveland confirmou estar a investigar um homicídio na 635 East 93rd Street em Ohio porque “o suspeito divulgou o assassinato no Facebook Live e alegou ter cometido vários outros homicídios” que não foram verificados até agora. Stevie foi considerado “armado e perigoso” e a polícia pediu “alerta máximo” às populações da Pensilvânia, Nova Iorque, Indiana e Michigan. Até agora, e depois de uma curta chamada telefónica no início das investigações, suspeitava-se que Stevie podia ter fugido para Nova Iorque, onde tinha família.
Pouco antes das duas da tarde locais do último domingo, Steve Stephens iniciou um vídeo em direto no Facebook, intitulada por ele como “Matança de domingo de Páscoa” em que telefona a um amigo e diz: “Passei-me da cabeça. Já matei treze cabrões e estou à procura de um 14º, para matar”. Steve Stephens diz-se deprimido, com pensamentos suicidas e ignorado por toda a gente. O que terá motivado o ataque a Robert Godwin, que regressava casa de um almoço de Páscoa na tarde de domingo em Cleveland, foi a relação entre Steve Stephens e a ex-namorada, Joy Lane: “Levou ao limite. Estava a viver com ela há três anos e acordei na sexta-feira, não aguentei mais. Vim-me embora. E aqui estou, a fazer um massacre a uns cabrões”. Antes de matar Robert Godwin, Stevie Steve diz ao homem: “Importa-se de me fazer um favor? Diga as palavras Joy Lane. É dela a culpa do que está prestes a acontecer-lhe”.
O vídeo só foi retirado da Internet duas horas e onze minutos após o crime porque, explicou o Facebook, o primeiro dos dois vídeos feitos por Steve Stephens não tinha sido denunciado por ninguém na rede social. O segundo vídeo só recebeu uma denúncia quase uma hora depois de ter sido publicado. Ainda assim, o vice-presidente da marca admite que o Facebook está a rever as suas ferramentas para contornar casos destes.
Steve Stephens trabalhava numa instituição de saúde mental para crianças, adolescentes e respetivas famílias.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.