quinta-feira, 20 de abril de 2017

Bilionário chinês que ameaçou revelar corrupção no regime alvo de mandado de captura internacional


1
Bilionário chinês disse ter informações explosivas que revelavam casos de corrupção na cúpula do regime numa entrevista à Voice of America, que acusa de ter interrompido indevidamente.
DIEGO AZUBEL/EPA
Um bilionário chinês, conhecido pelos seus gostos extravagantes, afirma que está a ser perseguido pelo regime chinês por ter ameaçado revelar “informação explosiva” sobre casos de corrupção na cúpula da regime. A denúncia surge depois do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês ter confirmado que, a pedido do governo chinês, a Interpol emitiu um mandato de captura internacional em seu nome.
Segundo o jornal chinês baseado em Hong Kong South China Morning Post, Guo Wengui, de 50 anos, será procurado pelas autoridades chinesas por alegadamente ter pago um suborno na ordem dos 8,1 milhões de euros a Ma Jian, antigo chefe das secretas chinesas e uma das figuras mais poderosas do regime a ser alvo da purga levada a cabo pelo Presidente chinês Xi Jinping.
O governo chinês não confirma as acusações, diz apenas que Guo Wengui é um “suspeito”, mas sem dizer de quê.
O bilionário chinês rejeita as acusações e diz, em entrevista à edição chinesa do Voice of America, que está a ser perseguido numa tentativa de esconder as informações que diz ter na sua posse. Guo Wengui terá feito acusações ao regime em várias entrevistas e nas redes sociais, sem ainda as ter provado, e depois acusou a rádio de ter interrompido uma entrevista sua ao saber do mandado de captura emitido. A rádio nega e diz que a entrevista já durava há mais de uma hora e que a transmissão é que continuou por mais tempo do que o devido, tendo sido interrompida assim que se percebeu a situação.
Numa mensagem enviada à Associated Press, Guo Wengui diz que o regime está com medo: “É tudo mentira, só ameaças. Mostra que estão com medo que eu divulgue informação explosiva”, afirmou.
Willy Lam, um professor da Universidade Chinesa de Hong Kong, diz que a decisão de sair a público com estas acusações são inéditas da parte de um bilionário chinês e certamente o deixará em maus lençóis face ao regime chinês. Tudo porque a acusação – ainda por substanciar – de corrupção entre as famílias dos responsáveis do regime chinês representam também um pesadelo de imagem para um regime que tem levado a cabo uma cruzada anti-corrupção.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.