sexta-feira, 21 de abril de 2017

Emitido mandado de captura para assassinos do procurador Vilanculos


Interpol investiga morte do procurador Marcelino Vilanculos
A Procuradoria-Geral da República (PGR) accionou os mecanismos de cooperação com a Interpol, a polícia internacional, para a captura dos indiciados no assassinato do procurador Marcelino Vilanculos, facto ocorrido no dia 11 de Abril do ano passado. O anúncio foi feito pela procuradora-geral da República, Beatriz Buchilli, na sessão parlamentar de debates sobre o informe anual sobre a situação da justiça no país.
Sem revelar os nomes dos indiciados, Buchilli deu a entender que os indiciados encontram-se em paradeiro desconhecido, admitindo-se que estejam fora do país, razão pela qual foi solicitada a cooperação internacional. “Em relação ao processo sobre o homicídio do procurador Marcelino Vilanculos importa referir que foram acusados e pronunciados três arguidos, tendo os mesmos recorrido do despacho de pronúncia para o Tribunal Superior de Recurso de Maputo” disse a procuradora-geral. “Foram emitidos mandados de captura internacional, via Interpol, e a nossa polícia está a trabalhar no assunto” realçou.
Um dos arguidos encontrava-se detido no estabelecimento penitenciário de Maputo, de onde se evadiu, em circunstâncias não esclarecidas. Buchilli disse estar em curso um processo judicial contra os facilitadores da fuga, não revelados nem quantificados, que corre os seus trâmites no Tribunal Provincial de Maputo. “Paralelamente, foi aberto um processo autónomo, com uma arguida, em prisão preventiva, acusada, também, pelo envolvimento no crime, com o processo remetido ao Tribunal Provincial de Maputo” havendo ainda “dois indiciados a monte”, informou a procuradora-geral.
Recorde-se que o malogrado representou o Ministério Público na acusação contra vários cidadãos que acabaram por ser condenados como culpados por alguns raptos.
“Caso Odebrecht”
Buchilli descortinou algumas informações sobre o caso de alegados subornos a funcionários públicos nacionais, para facilitação nos processos de adjudicação das obras de construção de uma barragem.
De acordo com a procuradora-geral, o Ministério Público solicitou, nas autoridades congêneres do Brasil, as informações necessárias para o andamento das investigações, situação que ainda não foi acedida. “Accionámos mecanismos de cooperação judiciária com o Brasil e o Ministério Público Federal deu-nos conta da impossibilidade de dar informações devido ao acordo de confidencialidade com a Odebrecht”, afirmou Buchili. Segundo disse, o acordo de confidencialidade expira em Junho.
Ginoca Ramos Já agora, aproveitem e tratem de todos os outros que foram assassinados e até hoje nem uma palavra sobre esses casos todos, ah, já agora, por favor não se esqueçam de Siba Siba Macuacua que foi morto muito jovem e deixou 2 filhos bem pequenos. Já lá vão quase 16 anos e nunca ninguém fez nada.
GostoResponder257 min
Jeronimo Machava A quantos anos que a procuradoria diz estar a fazer investigações?? Será que de tantos ja investigados sem sucesso so vão conseguir neste caso?? Digo porque ainda não os ouvi a tornarem públicas as suas investigações de anos passados. Pais de quem tem poder pisa o mais pobre fica. Chega.
GostoResponder2 h
Teixeira Teté Não pode ser só para esse caso há tantos outros que até agora ainda não há esclarecimento, por exemplo o caso Giles Cistac, Siba Siba entre tantos outros, direitos iguais né?
Noberdino Da Luana Efigénia O pior, mesmo que descubram, essa moça procuradorzinhaaaa de meia tigela nem vai querer falar no seu informe. Vamos lá interpol fazer valer isso.....
Jose Manuel De Jesus Emitir mandatos pra fantasma que nem deixou rastos??? Ai ai tens rastos do ematum entao emiti pra Estes protagonistas das dividas, pra ver se amanha estaras de novo ai neste cargo.
Jose Manuel De Jesus Nao è bom pegar vosso amigo judas que traiu o povo levando bisss em biss??assim que conhecem as pessoas envolvidas na divida porque que nao emitem o mandato pra os teus chefes?? Tudo paulada
Zulficar Mahomed O local do crime foi infectado logo após o assassinato.
Talvez seguindo o rasto das comunicações durante os dias antecedentes.
GostoResponder1 h
Ligorio Antonio Munhaule O nosso método de investigação criminal não é eficiente p'ra até chegarmos nesse extremo
GostoResponder2 h
Tsatsango Bangal Se o único suspeito já lhe sacaram da jele ...e o processo no arquivo..
GostoResponder11 h
Manuel Edvaldo Simango Se estis idiotas so estaõ preucupados em investigar branquiamento de capitais, fraudes, narcotrafico e contrabando sabem que ai a comissaõ
GostoResponder2 h
Zizou Gostozo DM Escudo para nyusse e gubuza
GostoResponder11 h
Zizou Gostozo DM Essa gaja é capa
GostoResponder1 h

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.