terça-feira, 18 de abril de 2017

Um casal ficou sem voo para o seu casamento

Nova polémica na United Airlines. 


Uma semana depois do caso de um passageiro que foi arrastado para fora do avião, desta vez foi um casal americano que ficou sem lugar no voo que os levava ao seu próprio casamento.

Getty Images
É a segunda polémica que atinge a companhia aérea United Airlines em poucos dias. Depois de termos assistido à expulsão de um passageiro por um caso de overbooking – uma situação que se tornou viral pela violência usada -, desta vez foi um casal americano do Utah que ficou sem lugar no voo que os levava ao seu próprio casamento, na Costa Rica.
O casal, que viajava de Salt Lake City para a Costa Rica com os convidados do casamento, tinha escala prevista no Aeroporto George Washington no estado americano do Texas. Foram os últimos a entrar no avião e foram obrigados a procurar dois assentos livres quando um passageiro adormeceu nos lugares que tinham marcado (24 B e C), explica o noivo, Michael Hohl
Pensámos que não fosse problema. Não é que estivéssemos a ocupar dois lugares de primeira classe. Simplesmente estávamos em dois lugares numas filas mais à frente na classe económica, nos lugares 21 B e C.”
A questão é que num Boeing 737-800, como aquele em que se encontrava o casal, a United Airlines classifica a fila 21 como Economy Plus, ou seja, assumiram que o casal estava a ocupar lugares com um nível superior àquele que tinham pago. Apesar das explicações dos oficiais, os noivos acabaram por ser expulsos do voo e foram-lhes garantidos lugares num voo marcado para o domingo passado.
A companhia aérea garante que os noivos tentaram “repetidamente” ocupar lugares de nível superior e que “não seguiram as instruções da tripulação” tendo então sido retirados do avião.

Air Canada: novo caso de overbooking deixa criança de 10 anos sem lugar no voo

Depois da polémica com a United, agora foi a vez da Air Canada: deixou uma criança de 10 anos sem lugar num voo com a família que estava marcado há meses.
PAUL MILLER/EPA
Uma família de quatro pessoas do Canadá denunciou um novo caso de overbooking na companhia Air Canada, o segundo no espaço de um mês. A família tinha um voo de Charlottetown com destino na Costa Rica, marcado com meses de antecedência, e descobriu, ao fazer o check-in, que o filho de 10 anos não teria lugar para viajar com o resto da família. Estes casos têm vindo a tornar-se públicos desde a expulsão de um passageiro de um voo sobrelotado da United Airlines.
Após contactar a companhia, sem sucesso, a família de Brett e Shanna Doyle dirigiu-se ao aeroporto de Charlottetown para tentar resolver a situação. Foi aí que ficaram a saber que o voo tinha 34 bilhetes vendidos – num avião com apenas 28 lugares. De acordo com o Huffington Post, um agente da companhia confirmou que, mesmo que um lugar ficasse vago, nada garantia que fosse atribuído à criança de 10 anos.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.